É realizada de acordo com a norma de Execução NBR 6484/2001 e  NBR 7250/1982 de Identificação e Classificação, consiste na introdução do amostrador  bipartido a partir da cota  um metro de profundidade  e, considerando  profundidades constantes a cada 1,00 metro até a camada impenetrável da rocha, o solo é  atravessado pelo amostrador de barrilete através de cravação dinâmica de 45,00 cms, com contagem do número de golpes para cada 15,00 cms, para os 55,00 cms restantes de cada cota o solo é removido com auxílio do trado helicoidal ou á percussão. As amostras indeformadas retiradas do amostrador são separadas e catalogadas para que sejam classificadas e Identificadas no laboratório de solos, os números de golpes identificados a cada 15,00 cms de penetração de cada cota, são  anotados em um boletim de campo, sendo que para fins de cálculo são válidos somente os números referentes a segunda camada de 15,00 cms e a terceira camada de 15,00 cms que são  o NSPT (Números do SPT)  ou seja;  números adimensionais que são transformados através de fórmulas semi-empíricas em kgf/cm2.

- 01 tripé com aproximadamente 4,50 metros de comprimento.

- Amostrador de barrilete tipo Terzaghi & Peck, com diâmetro interno de 1  3/8” = 34,90 mm e diâmetro externo de 2” = 50,80 mm, com comprimento mínimo da parte bipartida de 457,00 mm.

- Hastes de 1,00 metro para manobras e hastes de 2,00 metros para vencer as diversas camadas do solo.  As hastes têm  diâmetros externos de 32,00 mm e diâmetro interno de 25,00 mm, com peso de 3,24 kg/metro linear.

- Revestimento com  diâmetro interno de 2 ½” = 63,50 mm, indispensáveis  para percussão se for o caso.

- Peso de 65 kg para queda dinâmica de 75,00 cms que geram 477,50 joules.

-Trado concha para avanço do revestimento e retirada do solo a partir dos 45,00 cms ensaiados de cada cota.

É um ensaio para determinar as tensões admissíveis do solo para fins de edificação das fundações das obras civis, imprescindível para o cálculo dos engenheiros geotécnicos e  projetistas. Com este ensaio podemos determinar o nível da água, o tipo de solo, profundidade  de penetração, como  também determinarmos os número do NSPT que são os números de golpes necessários para atravessar os 30,00 centímetros finais de cada metro ensaiado. Neste ensaio não utilizamos os 15  centímetros, devido a utilização de água para remoção (percussão), tendo em vista alterar consideravelmente os índices físicos dos primeiros 15 centímetros ensaiado.

É um ensaio de solo, cuja tradução da língua inglesa para o português é, “Teste Modelo de Penetração”, que foi desenvolvido no início do século XX, pelo engenheiro  Raymond Terzaghi que dedicou sua vida a engenharia de solos,  o objetivo deste ensaio é determinar as tensões de corte como se fosse um ensaio de cisalhamento, que consiste em uma queda dinâmica de um martelo com 65,00 kg que é levantado há uma altura de 0,75 metro e, transferida para um amostrador bipartido que corta o solo de maneira indeformável, esta queda transforma energia potencial em energia cinética equivalente a 477,50 joules. Exemplificando 1 joule é o mesmo que lançarmos  um determinado peso com  98 gramas a uma altura de 1,00 metro ao nível do mar, onde a gravidade é 9,8 m/s².